Bruna dos Santos Costa

Pós graduada em direito constitucional pela Instituição Toledo de Ensino. Professora assistente de prática penal na rede de ensino LFG. Professora responsável pelo atendimento do plantão de dúvidas dos cursos de 2ª fase em direito penal da OAB na rede de ensino LFG. Professora de prática penal no curso de técnico em serviços jurídicos da ETEC Albert Ainsten. Advogada.

21 de fevereiro de 2013 11:28 - Atualizado em 11 de junho de 2013 13:38

Como marcar meu código penal para prova da OAB-FGV

Como marcar o Vade Mecum para a prova da OAB

10540

10:17

Bruna Costa - Como marcar o código da OAB - Bloco 2

Assista ao vídeo
12:19

Bruna Costa - Como marcar o código da OAB - Bloco 3

Assista ao vídeo

 

 

Pessoal, sobre as súmulas não comentadas desconsiderem a informação do primeiro vídeo. No Exame X poderemos usar as súmulas não comentadas ( secas), ok? As súmulas comentadas estão fora.

Pela minha experiência junto ao auxilio de alunos no plantão de dúvidas dos cursos da segunda fase OAB-FGV tenho percebido que existe uma grande preocupação dos alunos quanto à marcação do código para a prova.

E não é por menos, afinal o código bem marcado pode ajudar a identificar a peça, resolver questões além de otimizar a questão do tempo, que é fundamental. Por isso escolhi este tema para dar uma especial atenção nesta última semana que antecede o exame.

A principio é importante conhecermos  os materiais permitidos/ proibidos para prova e o que podemos ou não usar no nosso código.

Segundo o edital  são materiais permitidos:

• Legislação não comentada, não anotada e não comparada.

• Códigos, inclusive os  organizados que não possuam remissão doutrinária, jurisprudência,

informativos dos tribunais ou quaisquer comentários, anotações ou comparações.

• Leis de Introdução dos Códigos.

• Instruções Normativas.

• Índice remissivo.

• Exposição de Motivos.

• Regimento Interno.

• Resoluções dos Tribunais.

• Simples utilização de marca texto, traço ou simples remissão a artigos ou a lei.

Separação de códigos por clipes e/ou por cores, sem nenhum tipo de anotação manuscrita ou impressa nos recursos utilizados para fazer a separação.

 Atenção a recente retificação do edital proibindo a consulta de súmulas, enunciados e orientações jurisprudenciais comentados ou anotados.

Vamos precisar de:

4 marca textos de cores diferentes.

 

E a partir destes dados vamos traçar um roteiro de marcação dos artigos indispensáveis.

1.       Fases processuais
2.       Endereçamentos
3.       Preâmbulos
4.       Teses possíveis

Fases processuais

As fases processuais extrairemos  da tabela abaixo:

Fases 1 2 3 4
Da instauração do IP ao oferecimento da denúncia Citação – Instrução processual Da publicação da sentença ao trânsito em julgado – Recursos Execução da pena ( pós trânsito em julgado)
       
Principais Peças possíveis Relaxamento da prisão em flagrante Defesa Preliminar Apelação Revisão Criminal
  Liberdade Provisória Resposta à acusação RESE Reabilitação
  Instauração de incidente de insanidade mental Memoriais Embargos infringentes e de nulidade Agravo em execução
  Restituição de coisas apreendidas Requerimento de habilitação como assistente de acusação Embargos de declaração
  Requerimentos ao delegado de policia
  Representação
  Queixa Crime
  HC HC HC HC

 

Já temos a tabela, agora basta que marquemos os artigos correspondentes  com as cores indicadas no índice sistemático. Assim, saberemos que tudo que for  verde, por exemplo, pertence ao momento processual 1.

 

Marcados os momentos processuais o próximo passo será a marcação  dos artigos mais importantes para a formulação da nossa peça. Usaremos o seguinte esquema de cores

 

Verde -> Competência

Amarelo -> Preâmbulo

Rosa -> Teses possíveis

Azul -> Pedido

 

Na próxima postagem disponibilizaremos uma tabela com os artigos mais importantes a serem marcados além de um vídeo explicativo para facilitação da assimilação do conteúdo.


Comentários